sexta-feira, 4 de julho de 2008

VONTADE

Por Luisa Monteiro


"O Meu corpo é um jardim, a minha vontade o seu jardineiro". (William Shakespeare)

Se refletirmos um pouco sobre nossas válvulas propulsoras, ou seja, aquelas que nos fazem acordar todas as manhãs com disposição para lutar, correr, agir ou qualquer que seja a ação a ser feita durante o dia, poderemos chegar a conclusão de que a VONTADE é a maior dessas forças que possuímos.

O sentido da palavra Vontade é um pouco complexo, pois não se tem somente vontade, mas temos vontade de algo, de alguma coisa e temos também a força da vontade.

Para Michaelis o significado da palavra vontade é:

  1. A principal das potências da alma, que inclina ou move a querer, a fazer ou deixar de fazer alguma coisa.
  2. (Psicologia) Impulso para agir em todas as fases de desenvolvimento ou, mais especificamente, o processo de volição; em sentido mais estrito, uma atividade precedida de elaboração mental de antecipação, incluindo opção ou escolha.
  3. Capacidade de tomar livremente uma deliberação.
  4. Perseverança no querer.
  5. Desejo, intenção.
  6. Resolução.
  7. Capricho.
  8. Arbítrio, mando.
  9. Gosto, prazer.

Já na wikipédia encontrei o seguinte significado para a palavra:

Vontade é a capacidade através da qual tomamos posição frente ao que nos aparece. Diante de um fato, podemos desejá-lo ou rejeitá-lo. Ante um pensamento, podemos afirmá-lo, negá-lo ou suspender o juízo.

Para os filósofos Santo Agostinho e Descartes, vontade e liberdade são a mesma coisa: a faculdade através da qual somos dignos de louvor, quando escolhemos o bom, e dignos de reprovação, quando escolhemos o mau.

Agostinho e Descartes concordam em que o fato de nós humanos termos vontade nos torna responsáveis pelas nossas decisões e ações. A dimensão moral do homem decorre do fato dele ter vontade.

Em Agostinho, a escolha digna de reprovação é pecado. Em Descartes é erro. O pecado é uma falta religiosa oriunda da vontade. O erro é uma falta moral ou epistêmica. Moral quando a falta oriunda da vontade é prática. Epistêmica quando a falta oriunda da vontade é teórica.

Agostinho e Descartes também concordam em afirmar que o fato de termos vontade não só nos torna responsáveis por nossos atos e decisões como também livra Deus de qualquer responsabilidade sobre a mesma, tal como explica a teodicéia.

Para você ver como uma simples palavra tem um teor de complexidade, vejamos o que achei sobre vontade na visão da psiquiatria, através das palavras de Iveraldo Amboni Filho:

Vontade é conceituada como sendo a capacidade de associar o "livre arbítrio e o determinismo".

O próprio indivíduo tem a opção de escolher se faz ou não faz determinado ato, julgando, avaliando sugerindo e opinando sobre suas próprias ações; a resolução depende só da vontade própria. Os atos podem ser decorrentes de vontade ou de impulsos ou de instintos. Os atos da vontade ocorrem com representações conscientes do fim, com conhecimentos dos meios e das conseqüências.

Os impulsos são atos sem conteúdo e sem direção, aparecem subitamente e geralmente com conseqüências danosas. O indivíduo se entrega de maneira passiva e cega, ignorando o objetivo. São exemplos de impulsos patológicos: piromania, toxicofilia e cleptomania.

Iveraldo ainda se aprofunda um pouco mais no assunto demonstrando até quais as perturbações da vontade, vejam quais são:

Hiperbulia: é o aumento dos desejos. Segundo Jaspers: é um sentimento gigantesco de força; o pensamento possui força e clareza extraordinárias.


Hipobulia: é a diminuição dos desejos; há um sentimento de passividade e abandono; falta a transformação do impulso volitivo em ação. O indivíduo não tem vontade nem de pensar.


Negativismo: o indivíduo tem uma resistência, sem motivo, contra qualquer tipo de impulso, idéia ou ato motor. Existem 2 tipos de negativismo: o passivo, onde o indivíduo se abstém de realizar qualquer ato, e o ativo, onde o indivíduo realiza sempre o oposto do que lhe é pedido.


Fenômenos em eco: nesse caso a vontade encontra dificuldade em estabelecer limites e critérios. Há uma espécie de círculo vicioso onde, a partir do momento em que a vontade leva a uma ação, essa ação se torna repetitiva, sem motivo de assim o ser. São exemplos de fenômenos em eco: ecopraxia (repetição de atos complexos), ecomimia (repetição dos próprios atos) e ecolalia (repetição de sons ou falas).


Obediência Automática: o paciente realiza de forma passiva e imediata as ordens que lhe são comunicadas, e nesse caso a vontade carece de independência e autonomia, e a vontade do paciente é dependente da vontade alheia.

Para muitos Vontade é uma simples palavra que exprime o querer, mas pudemos ver que o sentido verdadeiro da palavra é bem mais extensivo.

"A força não provém da capacidade física e sim de uma vontade indomável". (Mahatma Ghandi)


Além da Vontade ser uma das nossas forças propulsoras para seguirmos nossa rota no mar da vida, precisamos também de algo um pouco maior que eu particularmente considero muito importante no nosso dia-a-dia: A Força de Vontade. Daí vocês podem até se perguntar: E, não é a mesma coisa? Também pensava assim, mas vamos continuar a nossa aventura em busca dos significados. Vejam a visão de Jaime Balmes (Filósofo Espanhol) sobre Força de vontade:

A FORÇA DA VONTADE


Quase sempre há no homem uma grande soma de forças que ele deixa inativas. O conhecer-se acertadamente é um maravilhoso segredo para fazer muitas e grandes coisas. Ficamos impressionados diante de certos trabalhos realizados pela necessidade. Em situações de necessidade, o homem transforma-se e muda, por assim dizer, de natureza.

A inteligência se engrandece, adquire uma penetração, uma lucidez e uma precisão maravilhosas; o coração se dilata, nada assombra a sua audácia; até o corpo adquire mais vigor. E por quê? Criaram-se por ventura novas faculdades no homem? Não, mas as faculdades que dormiam foram despertadas. Onde tudo era repouso, tudo se tornou movimento, tudo convergiu para um fim determinado. Aguilhoada pelo perigo, a vontade se desenvolve em sua irresistível potência; ordena imperiosamente a todas as faculdades que concorram para a ação comum; presta-lhe sua energia e sua decisão.

Espanta-se o homem ao sentir-se inteiramente mudado; o que apenas ousaria imaginar, o impossível de ontem, torna-se o fato realizado do presente.O que praticamos nas circunstâncias extremas e sob o império da necessidade nos deixa ver o que podemos no curso ordinário da vida.

Para obter, é mister querer; mas querer com vontade decidida, resoluta, inconcussa; com vontade que caminha para o fim sem desanimar com os obstáculos ou fadigas. Mas às vezes parece-nos ter vontade, quando só temos veleidades. Quereríamos, mas não queremos. Quereríamos, se não fora preciso romper com nossa preguiça, afrontar certos perigos, vencer certas dificuldades. Escasseando de energia a nossa vontade, molemente desenvolveremos nossas faculdades e cairemos desfalecidos a meio do caminho.

Esse mesmo autor que escreveu tão bem sobre a Força de vontade, também fala da Firmeza da vontade, acompanhe comigo o raciocínio maravilhoso que ele consegue escrever sobre o assunto:

"É erro vulgar confundir o desejar com o querer. O desejo mede os obstáculos; a vontade vence-os". (Alexandre Herculano)


A FIRMEZA DA VONTADE

Querer com firmeza! Esta firmeza assegura o sucesso nas empresas difíceis; por meio dela nos dominamos a nós mesmos, condição indispensável para dominar as coisas.

Há dois homens em cada homem: um, inteligente, ativo, elevado, nobre em seus pensamentos e em seus desejos, submetido às leis da razão, cheio de ousadia e generosidade; outro inteligente, sem arrojo, sem expediente, não se atrevendo a levantar nem a cabeça nem o coração acima do pó da terra, envolvido inteiramente nos instintos e nos interesses materiais. O último é um ser de sensações e de gozos; nem lembrança de ontem, nem previsão de amanhã; para ele, a hora presente, o gozo presente é que constituem a felicidade; tudo o mais é nada. Em contrapartida, o primeiro instrui-se com as lições do passado, sabe ler no futuro, há para ele outros interesses que os de momento; não circunscreve em tão estreito círculo o que se chama a vida, a aspiração da alma imortal.

Sabe que o homem é uma criatura formada à imagem de Deus; levanta o pensamento e o coração para o céu; conhece a sua dignidade; compenetra-se da nobreza da sua origem e de seus destinos, paira acima da região dos sentidos. Que direi ainda? Ao gozo prefere o dever.

Nenhum progresso sólido e permanente é possível se não favorecemos a parte nobre da alma, sujeitando-lhe o homem inferior. O que se domina a si mesmo, facilmente domina as circunstâncias. Uma vontade firme e perseverante, além de outras qualidades, liga ou subjuga as vontades mais fracas, e lhes impõe naturalmente e sem esforço a sua superioridade.

"Para realizarmos as coisas boas que desejamos para a nossa vida, mais do que “ter vontade de...”, é preciso “usar a vontade para...”. A energia que todos temos, e que é maior do que parece à primeira vista, pode ser toda ela empregada a nosso favor: basta querer de verdade". (Jaime Balmes)

Clique no link abaixo e veja um vídeo que é um exemplo de vida, de determinação e principalmente de FORÇA DE VONTADE:


http://br.youtube.com/watch?v=Vm7scSZLkZg

Desejo a vocês muita Força de vontade para cada ato, para cada decisão, para tudo aquilo que vocês venham a precisar obter. E cada dia seja cheio de muita vontade de quere fazer dar certo.


Um grande abraço a todos e até semana que vem, se Deus quiser!

Um comentário:

Luís Manuel Ramalhosa disse...

Luísa olá,

O meu nome é Luís Manuel Ramalhosa, tenho 10 anos, sou de Évora - Portugal.
"Encontrei-te" porque jogo Rugby e criei um blog e ando sempre á "pesca" de ideias para o meu blog.
Adorei o teu blog e a tua "palavra".

Fica bem

"Lugui"

"Os jogadores de Râguebi são dos desportistas mais inteligentes do Mundo, quem mais se atreveria a jogar com uma bola oval"

Conversor de Moedas:

Conversor de Moedas:
Clique no mapa.