sábado, 15 de novembro de 2008

MAPA MENTAL (MIND MAP)

Por Luisa Monteiro


O QUE É?
Mapa mental, ou mapa da mente é o nome dado para um tipo de diagrama, sistematizado pelo inglês Tony Buzan, voltado para a gestão de informações, de conhecimento e de capital intelectual; para a compreensão e solução de problemas; na memorização e aprendizado; na criação de manuais, livros e palestras; como ferramenta de brainstorming (tempestade cerebral); e no auxílio da gestão estratégica de uma empresa ou negócio.
Mapa Mental (Mind Map) é um diagrama usado para representar palavras, idéias, tarefas ou outros itens ligados a um conceito central e dispostos radialmente em volta deste conceito. É um diagrama que representa conexões entre porções de informação sobre um tema ou tarefa. Os elementos são arranjados intuitivamente de acordo com a importância dos conceitos. Eles são organizados em grupos, ramificações ou áreas.

Pela representação das informações e suas conexões de uma maneira gráfica, radial e não linear, o Mapa Mental estimula a imaginação e o fluxo natural de idéias livre da rigidez das anotações lineares (listagens). O Mapa Mental explora o fato de que nosso cérebro:
  • Não trabalha de forma linear, mas pula de uma idéia para outra, de forma aleatória, seguindo as associações que vai descobrindo;
  • Processa melhor, memoriza e relembra mais facilmente informações que combinam palavras, números, ordem e seqüência com cores, imagens, dimensões, símbolos e ritmo visual.
O MÉTODO
Os desenhos feitos em um mapa mental partem de um único centro, a partir do qual são irradiadas as informações relacionadas. Eles podem ser feitos com um programa de computador adequado ou com canetas coloridas e um bloco de papel, e podem ser usados por todos os profissionais para gerenciar qualquer tipo de informação. Este método de registro é cada vez mais usado por uma série de profissionais de todas as áreas de conhecimento humano.
O sistema de diagrama dos mapas mentais funciona como uma representação gráfica de como as idéias se organizam em torno de um determinado foco.

Os mapas mentais funcionam exatamente como o cérebro, segundo Buzzan.

Quando um mapa mental é elaborado, cada parte do mapa é associada com o restante, criando conexões entre cada conceito.
Na América do Sul, Viviani Bovo e Walther Hermann tratam da aplicação das técnicas gráficas de gerenciamento de informações, ao aprendizado, à expansão da criatividade e à criação de conhecimentos. Grupos de estudo têm se formado pelo mundo, geralmente ligados ao Centro Buzan, para estudar e compreender o sistema de mapas mentais. Por outro lado, o motivador Aldo Novak considera que o sistema de gestão gráfica é ideal para aplicações na organização pessoal, profissional e corporativa.

Você já imaginou trabalhar na resolução de problemas ou no acompanhamento de um projeto importante usando somente uma folha contendo desenhos, símbolos e poucas palavras? Parece impossível?

Pois existe esta possibilidade que, além de criativa, e efetiva e muito prazerosa: o Mind-Map.

TONY BUZAN e BARRY BUZAN – foram seus criadores e difundiram a ferramenta em sua obra “El libro de los mapas mentales – Como utilizar al máximo las capacidades de la mente “.
O livro não está disponível em língua portuguesa, motivo pelo qual decidi fazer um consolidado da técnica para que os leitores tivessem a oportunidade de conhecê-la e experimentá-la.
Reconhecido como poderosa técnica gráfica e a chave-mestra para acender o potencial do cérebro, o Mind-Map reproduz o pensamento irradiante e, portanto, uma função natural da mente humana..
Pode ser usado em todos os aspectos da vida com o objetivo de melhorar a aprendizagem e clarificar o pensamento. Vejamos alguns exemplos de seu uso:
• Memorização de conteúdos
• Planejamento de palestras e exposições
• Planejamento de projetos
• Tomada de decisão
• Solução de problemas

E, ainda, em tarefas simples do dia-a-dia, tais como:
• tomar notas de uma palestra;
• registrar a sequência de um seminário;
• resumir um livro ou artigo;
• definir providências de um projeto;
• registrar a pauta de uma reunião;
• registrar idéias para resolver determinado problema.
• elaborar a lista do supermercado;
• planejar um período de férias.

O Mind-Map como ferramenta de criatividade apresenta algumas vantagens:
• Aproxima a atividade do pensar à de escrever, usando símbolos, cores e palavras.
• É uma atividade estimulante que envolve as pessoas em sua montagem.
• Organiza o pensamento de maneira criativa e inovadora
• Seu visual é agradável e chama a atenção para pontos importantes do contexto.
• É uma forma objetiva e lúdica de planejamento.• Auxilia sobremaneira na memorização de fatos e dados.


QUANDO USAR?
O Mapa Mental é usado para gerar, visualizar, estruturar, e classificar idéias e como uma
ajuda na pesquisa e organização de informações; planejamento de projetos, campanhas,
cursos, livros, artigos e outras tarefas; solução de problemas e tomada de decisão, etc.
Apresenta muitas vantagens sobre as anotações na forma de listas

  • A idéia principal é definida com mais clareza. Ela é colocada no centro do gráfico.
  • A importância relativa de cada idéia é claramente indicada; quanto mais perto do centro, mais importante.
  • As conexões entre conceitos são imediatamente reconhecidas.
  • As revisões são mais efetivas e mais rápidas.
  • Fácil inclusão de novas informações.
  • A natureza aberta do gráfico estimula o cérebro a fazer novas conexões.
COMO USAR?
O Mapa Mental em 6 passos:
1. Comece pelo centro. Pegue uma folha de papel e desenhe no seu centro uma palavra ou imagem que represente o assunto sobre o qual você irá pensar.
2. Em volta do assunto central coloque os principais temas ligados ao tema central. Estes temas podem ser comparados aos títulos dos capítulos de um livro. São as idéias ordenadoras que definem os focos do Mapa Mental.
3. Use linhas para ligar estes temas ao assunto central.
4. Desdobre cada um destes temas principais em temas secundários e os conecte ao tema “mãe”
5. Se necessário, desdobre estes temas secundários em novos temas e os conecte ao tema de origem.
6. Prossiga com os desdobramentos até atingir o nível de detalhamento necessário.
As regras e técnicas do Mapa Mental:
a. Enfatize e evidencie
  • Sempre use uma imagem central.
  • Use cores variadas.
  • Use imagens, símbolos, formas, texturas, etc.
  • Use variações de tamanho das letras, linhas e imagens
  • Mostre a hierarquia entre os diversos níveis de informação.

b. Não interrompa o fluxo de idéias

  • Anote as idéias imediatamente, como ocorrem.
  • Não pare para fazer julgamentos, continue pensando.
  • Deixe para mais tarde os julgamentos, modificações e melhorias.

c. Mostre as associações

  • Use setas para mostrar conexões dentro e entre ramificações.
  • Use cores.
  • Use símbolos.
  • Use formas como triângulos, círculos, retângulos, etc.

d. Seja claro

  • Organize o espaço e deixe áreas em branco para futuras inserções
  • Somente uma palavra chave por linha.
  • Use letras de imprensa, pois são mais fáceis de ler e lembrar
  • Escreva as palavras ao longo das linhas.
  • Comprimento da linha igual ao comprimento da palavra ou imagem.
  • Linhas centrais mais grossas; a espessura diminui à medida que se afastam do
    centro.

e. Desenvolva um estilo próprio

  • Defina um layout personalizado.
  • No uso de recursos gráficos para mostrar hierarquia, semelhanças e conexões.
  • Na combinação própria de cores, imagens, formas, dimensões, etc.
  • Use sua criatividade e torne seus mapas mais alegres, coloridos e artísticos.

Recursos usados

  • Setas: podem ser usadas para mostrar como conceitos que aparecem em diferentes partes estão conectados. As setas podem ser simples ou com ramificações e podem apontar em qualquer direção.
  • Pontuação e símbolos: asteriscos, pontos de exclamação e de interrogação, cruzes e muitos outros símbolos podem ser agregados às palavras para mostrar conexões ou evidenciar alguma informação.
  • Formas geométricas: triângulos, círculos, elipses, retângulos, etc. podem ser usados para marcar áreas ou palavras que têm alguma semelhança. Por exemplo: triângulos podem ser usados para mostrar áreas de possíveis soluções para o problema analisado.
  • Objetos tridimensionais: cubos, cilindros, esferas, pirâmides, etc. para destacar alguma idéia ou informação.
  • Imagens criativas: para ressaltar a natureza ou especificidade de um tópico. Use as imagens disponíveis em seu micro ou na internet. Melhor, crie você mesmo as suas próprias imagens.
  • Cores: as cores são particularmente úteis para ajudar a memória e a criatividade. Podem ser usadas, como as setas, para mostrar como conceitos localizados em diferentes partes do gráfico se conectam ou se relacionam.Elas também podem ser usadas para delimitar as fronteiras entre as grandes áreas do gráfico.

Como montar um Mind-Map na visão de Maria Rita Gramigna que é Mestre em Criatividade Total Aplicada pela Universidade de Santiago de Compostela (Espanha). Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Minas Gerais e pós-graduada em Administração de Recursos Humanos pela UNA – União de Negócios e Administração (MG). Atua no Mapeamento de Competências, contatos estratégicos com clientes, capacitação gerencial e treinamento da equipe de consultores da MRG Consultoria e Treinamento Empresarial.

1. O tema a ser discorrido ocupa imagem central
2. Os sub temas irradiam da imagem central de forma ramificada.
3. As ramas compreendem uma imagem ou uma palavra-chave impressa sobre uma linha associada.
4. Os pontos de menor importância também estão representados como ramas.
5. As ramas formam uma estrutura nodal conectada.
A estrutura do MIND-MAP satisfaz à tendência do cérebro humano de buscar resolução a um contexto iniciado e permite uma sequência infinita de tentativas com o uso de símbolos, desenhos e palavras. Aciona nossa base de dados, favorecendo associações, vínculos e conexões.

Apresenta três variáveis que favorecem seu uso no lugar de outros planejamentos mais ortodoxos:
1. Estimula o funcionamento global do cérebro e permite a visualização do projeto de forma gestáltica.
2. Facilita o acompanhamento passo-a-passo de cada ação planejada.
3. Tem como foco um ponto central – o objetivo a alcançar – e ao mesmo tempo flexibiliza o cérebro para dispersar-se e mover-se em diversas direções.

Para elaborar um Mind-Map deve-se seguir as LEIS DA CARTOGRAFIA MENTAL:
1. Uso de uma imagem central
2. Registro de imagens em toda a extensão do mapa
3. Três ou mais cores para cada imagem
4. Destaques são registrados em volta da figura central.
5. Poucas palavras, com letras de dimensões e cores variadas
6. Desenhos ocupando espaços de forma simétrica
7. Uso de códigos e símbolos
8. Folha na horizontal

Recursos
Exemplo de mapa mental, utilizando o programa INTELIMAP.

Exemplo de mapa mental, utilizando o programa Labyrinth.



Exemplo de mapa mental, utilizando o programa ConceptDraw MINDMAP Professional.



O uso de programas de computador para geração dos mapas mentais é visto com reservas por parte dos especialistas, embora muitos os defendam. Aldo Novak, autor de A Única Diferença, enfatiza que os mapas a serem usados para aprender devem ser feitos sempre à mão, com canetas coloridas e papel, enquanto os mapas usados para ensinar (ou transferir informações) devem ser feitos com programas especiais. Alguns autores, como Novak, comparam os mapas mentais que atualmente são feitos a uma ferramenta de trabalho que foi usada por Leonardo Da Vinci, e que utilizava gráficos e um alfabeto visual.
Mapas mentais são, aparentemente, semelhantes aos mapas conceituais. Contudo, os mapas conceituais são estruturados com base em relações entre conceitos, explicitadas por frases de ligação, formando proposições, as quais são passíveis de análise lógica.

Um comentário:

MICHELINE MACÊDO disse...

Amiga, muuuuuito obrigada por suas palavras tão carinhosas, você é a pessoa mais be informada em datas comemorativas que eu conheço... eu realmente não sabia que ontem foi o dia do empreendedor, mas nem me considerava uma, só que você dizendo, eu já me conveci! Te adoro. Beijão, Michel.

Conversor de Moedas:

Conversor de Moedas:
Clique no mapa.